A música sempre esteve presente na vida dos bebês, crianças e adolescentes. Nas últimas décadas cientistas de diversas áreas deram a devida atenção ao desenvolvimento musical, procurando compreender as transformações das práticas musicais que ocorrem da infância à idade adulta.

O desenvolvimento musical pode ser compreendido hoje como um processo recursivo e multidirecional, que se baseia em constantes reorganizações do conhecimento musical através da superação de limites específicos e abstratos.

As experiências musicais de bebês, crianças e adolescentes, em casa, na escola e em outros contextos são fontes importantes de informação para que possamos compreender as transformações que ocorrem na relação entre o ser humano e a música ao longo do tempo.

O ambiente familiar é fundamental para o desenvolvimento musical das crianças. Os pais são geralmente seus primeiros educadores musicais, já que são responsáveis pela criação do ambiente sonoro em casa, bem como por proporcionar a elas experiências musicais diversas. 

As crianças gostam muito de cantarolar canções conhecidas ou improvisadas por elas, manusear objetos sonoros, muitas vezes essas atividades não são vistas como momentos de criação pelos adultos. A partir dessas experiências nas quais a criança aprende a combinar sons, a improvisar novas melodias e dar significado a essas atividades, ela cria meios próprios de expressão, não sendo mais as imitações apenas impostas pela figura do adulto. Por isso a importância de proporcionar cada vez mais situações que permitam a criança desenvolver suas habilidades musicais, o que acontece normalmente por meio de jogos e de brincadeiras.